5 dicas para pedir desculpas para alguém – O que falar e o que não falar

A arte de saber perdoar só domina uma pequena parte da população. Não é fácil pedir desculpas, e muito menos o é que as aceite a pessoa caverna. Pode, por vezes, mais o ego pessoal que admitir que fizemos algo de errado que pode ter afetado a outro. Uma vez que assumimos a nossa responsabilidade, chega o passo dois, mais complicado ainda, se cabe: pedir perdão.

Chegado este momento, fomos assaltados por dúvidas. Como é que eu digo? Eu lhe dou uma explicação longa, ou me limito a desculpar-me e já? O que levou algum presente? Uma infinidade de questões que nos fazem sentir inseguros e que não asseguram que o perdão sirva para algo de bom.

A tudo isso se soma a educação que teve a maioria de homens, criados em um ambiente onde a festa era um sinal de fraqueza do que tinha que fugir. As mulheres, em contrapartida, dominam a arte do perdão. De fato, faz parte de seu dia-a-dia, e não porque devem fazê-lo, é que não lhes custa. Se você olhar na sua caixa de entrada do e-mail do trabalho, você verá que elas quase sempre se desculpam por ter demorado em responder ou por não poder ajudá-lo com o que pretende. Algo que é muito difícil encontrar um e-mail escrito por um homem.

1- Seja Curto e doce

O melhor é que não te colocar em desculpas muito longas. É pedante e nada necessário. Além disso, corre-se o risco de que a outra pessoa acabe falando mais e fazendo a outra parte perder a paciência.  Um perdão direto e breve é duas vezes bom. Lembre-se que a chave é limar asperezas e que a outra pessoa sabe de seu arrependimento, além de pavimentar o terreno para uma conversa futura mais profunda.

2 – Não fale muito de você

Não se torne o protagonista de seu pretexto. Não tente se justificar a toda hora nem expressar seus sentimentos. Frases como “eu estou tão envergonhado” ou “eu sou uma pessoa horrível, me sinto fatal” não farão mais do que agravar o problema. Se a parte danificada começa a sentir a necessidade de confortá-lo, mal processo. Só se desculpe se for de de forma sincera, e guarda as suas emoções para uma conversa posterior.

3 – Não pergunte se a pessoa te perdoa

Relacionado com o anterior, está a necessidade de ser perdoado. Esquece de dizer “você me perdoar?” ou “por favor, aceite minhas desculpas”. Você não está em condições de exigir nada, lembre-se que quem falhou aqui é você. A parte danificada verá se servem as suas desculpas ou não, e você deverá dar-lhe o tempo que julgar necessário. Se solicitar sua exculpação, parece que só você primeiro jogo oficial para você se sentir melhor.

4 – Dê soluções de como concertar o problema

Lembre-se que a protagonista é a pessoa caverna, e você deve fazer com que se sinta como tal. Se o perdão não vai a bom porto sempre tem a opção de pedir que te dizem como restaurar o dano causado. “O que posso fazer para corrigi-lo/rosto/compensar?” é a frase mágica. Se você diz que não pode fazer nada, não insista, retira-te. Muitas vezes, a pessoa caverna só precisa de tempo para digerir tudo e pensar se você quer ter em sua vida antes daquilo.

5 – Seja sincero e tudo dará certo

Para pedir perdão, de modo eficaz, é necessário estar ciente de que foi feito um dano importante ao outro. Há que se colocar no seu lugar e tentar sentir a dor que está sentindo a pessoa danificada. Se suas desculpas não são sinceras, não servirá de nada. Um perdão de verdade, e com sentimento vale mais do que dez falsos. Lembre-se: só se trata de ser simpático e de que o outro veja o que de verdade o que você está sentindo e se sente mal por ele realizado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*